quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015





WASHINGTON - A posse de pequenas quantidades de maconha tornou-se legal na capital americana, Washington-DC, a partir desta quinta-feira, em meio a um confronto entre as autoridades locais e o Congresso dos EUA.


Desde a meia-noite (2h no horário de Brasília), usuários em caráter privado deixaram de enfrentar ameaça de processo. Além disso, moradores e visitantes com mais de 21 anos de idade podem portar até 56 gramas da erva e plantar algumas mudas em casa. A venda, bem como o consumo em público, continuam vetados.

A capital dos Estados Unidos se juntou aos estados de Washington, Alasca e Colorado ao tornar a maconha legal para uso recreativo, refletindo uma mudança de panorama para o consumo da droga no país. A droga permanece ilegal sob a lei federal.

A prefeita Muriel Bowser e outros representantes municipais prometeram nesta quarta-feira que a legalização iria adiante, apesar das advertências dos republicanos no Congresso, que classificaram o movimento como ilegal.

Em uma carta a Bowser, os deputados Jason Chaffetz, do estado de Utah, e Mark Meadows, da Carolina do Norte, disseram que uma lei de gastos, de dezembro de 2014, tinha impedido a capital de gastar fundos para tornar a droga legal ou diminuir as penalidades. O congresso tem a supervisão sobre Washington-DC.

Em declarações ao jornal "Washington Post", Chaffetz afirmou que a prefeita está sujeita a "consequências muito graves", inclusive de prisão.

Bowser, por sua vez, respondeu: "Discordamos sobre uma questão de direito. Há maneiras razoáveis para resolver isso sem ameaças."

A maconha permanece ilegal em cerca de 20% do distrito, que é território federal.